/
1 Comments
Literatura de Esbarrão

Na sequência da literatura de esbarrão, uma passagem rápida por livros clássicos que são ou não "obrigátorios" a nossa leitura, posto um trecho de "A Peste" de Alberto Camus...














Assim, durante semanas, os prisioneiros da peste debateram-se como puderam. E alguns, como Rambert, chegaram até a imaginar, como se vê, que ainda agiam como homens livres, que ainda podiam escolher. Mas na realidade, podia-se dizer nesse momento, nos meados do mês de agosto, que a peste tudo dominara. Já não havia então destinos individuais, mas uma história coletiva que era a peste e o sentimento compartilhado por todos.

O maior era a separação e o exílio, com o que isso comportava de medo e de revolta. Eis porque o narrador acha conveniente, no auge do calor e da doença, descrever de maneira geral, e a título de exemplo, as violências dos nossos concidadãos vivos, os enterros dos defuntos e o sofrimento dos amantes separados...










Romance que destaca a mudança na vida da cidade de Orã depois que ela é atingida por uma terrível peste, transmitida por ratos, que dizima sua população. Narrado do ponto de vista de um médico envolvido nos esforços para conter a doença, o texto de Albert Camus ressalta a solidariedade, a solidão, a morte e outros temas que auxiliam na compreensão dos dilemas do homem moderno.
  • Editora: Bestbolso
  • Autor: ALBERT CAMUS
  • ISBN: 9788577991181
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2008
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 280
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio


You may also like

Postar um comentário