Poema de Incertezas

/
0 Comments

(uma única incerteza)

Longe e ainda no caminho,
próximo, ainda, somente próximo,
não distante de alcançar, mas distante ao que o tempo
sempre julga.

O não haver um estar-lá, um nunca-chegar e ter sempre um passo
continuo sem saber se há,
havendo somente a convicção e a teimosia de ser.

Ser o que chega e distancia-se sempre.
Ainda próximo, próximo, AINDA, num sempre atrasado passo
de dança, nunca de mágica,
num destino decodificado em cep.

O há-de-ser estando lá, e a suspeita
de quem é por assim estar,
se há ou se é, ser for o que nunca será,
se há o que já houve ou nunca haverá e mais a frente
houver o que ser.

Os passos de longe continuam...
Somente próximos,
os passos durante os segundos dos anos
e nunca os anos dos segundos,
os bem planejados passos.

E a observação das coisas
quando em passos são atravessadas.
Mas se houver onde se estar,
e ser algo que há,
terá valido antes, e tudo... ante
a minha convicção de ser e caminhar.


Ygor MF


You may also like

Postar um comentário