Entrevista com o Autor - Carmen Nogueira

/
0 Comments
Capa do livro criada pela Capitular Design

Bom dia Carmen é um prazer recebe-la aqui no Moviemento, conte-nos quem é Carmen Nogueira, sua trajetória e como a literatura chegou até você?
Nasci em São Paulo, Capital, numa família brasileira bem criativa. Em casa nós falávamos de arte, literatura, política, ciências, algo muito eclético e divertido. A literatura veio “desde sempre”; em casa sempre tivemos muitos livros. Meus pais e avós amavam livros. Minha avó materna lia muito. Desde pequena ia com minha mãe em livrarias e em sebos, para garimpar livros raros. 


De leitora a autora como se deu essa transformação?Desde criança gosto de escrever. É uma coisa que flui naturalmente, talvez por ler tanto. 


Você está lançando o livro “O Tribunal da Serpente”, conte-nos do que se trata essa história?
A história se passa numa grande e misteriosa ilha fictícia, a Ilha Naja descoberta no século XV, que alguns acreditam ter sido a mitológica Atlântida. 
No enigmático lugar, existe uma estranha pirâmide rústica arcaica, de origem desconhecida, habitada por serpentes najas. 
Desde o início do povoamento, o país é dominado pela oligarquia da rica e influente família Santos, dona das melhores terras da ilha, onde está localizada a estranha pirâmide.
No século XIX, Maximus dos Santos cria uma sociedade secreta de culto à Serpente Naja, nos moldes da tradição egípcia dos faraós, pela influência da pirâmide enigmática que existe na sua Fazenda Tebas.

A autora Carmen Nogueira
Ao longo do tempo a seita oculta se fortalece, dominando totalmente a sociedade da ilha, tendo seus membros infiltrados em todos os poderes republicanos.
O Tribunal da República Democrática de Naja é dirigido pelo magistrado Átila dos Santos, Mago Supremo da sociedade iniciática de culto à Serpente Naja. Ele é o homem mais influente do país.
Neste cenário, surge o maior processo da história do país, de um crime ambiental na periferia, causado pela grande Indústria Química EcoGolden S/A, numa batalha judicial envolvendo uma dupla de advogados decadentes contra o maior escritório de advocacia do país. Em meio à magia, crimes, corrupção, poderes econômicos e políticos, o leitor acompanhará os bastidores de um grande processo judicial fictício. 


Alguma história ou caso em particular que inspirou essa história? Se sim pode nos contar qual?
Embora os fatos e personagens sejam fictícios, me inspirei em contaminações ambientais em vários países, provocados por grandes empresas. 
Pensei em criar uma história diferente, um processo cível ao invés de criminal. O livro retrata uma causa indenizatória grande, que mexe com interesses econômicos poderosos.
Minha experiência como advogada atuante há mais de vinte anos ajudou, pois criei um processo fictício que imita os processos reais: perícia, advogados, magistrados, sentença, julgamento no Tribunal. 

Quanto ao lado místico, pesquisei tradições do Antigo Egito, que inspiraram muitas sociedades secretas.



Quais suas influências na hora de escrever, a que autores busca para inspiração ou para um melhor exercício da escrita?
Há muitos autores que aprecio, de estilos bem variados. Por exemplo: Machado de Assis e Sidney Sheldon, que teve formação como roteirista.
Na minha opinião, são dois excelentes escritores. Um clássico e um mais comercial. Ambos possuem um raro talento, com matizes diferentes.


E como leitora, quais são seus livros e autores favoritos?
Tenho um gosto bem eclético. Aprecio os autores clássicos, como por exemplo, Machado de Assis, Dostoiévski e outros mais populares, como Jorge Amado, Sidney Sheldon, entre tantos...


Além do “O Tribunal da Serpente” tem algum outro projeto em que esteja trabalhando? Conte-nos sobre ele.
Depois de merecidas “férias”, pois trabalhei dois anos no “Tribunal da Serpente”, tenho outro projeto de romance de ficção, também no estilo cinematográfico, com ação, suspense e um final surpreendente. 


Por fim, queremos agradecer a sua participação e deixar essa última pergunta como espaço para um recado a seus leitores e a novos autores que estão se lançando no mercado.
Não deixem de ler “O Tribunal da Serpente”. É um livro com muito suspense e ação; um jogo emocionante, numa rede oculta de corrupção e mistérios, numa grande causa judicial. È um romance que se desenrola como um filme dinâmico, que vai te surpreender a cada capítulo. 

Para os novos autores, recomendo muita leitura, colocar as idéias no papel e ir em frente. Ser persistente é fundamental. Visitem o blog: otribunaldaserpente.blogspot.com.br
Para quem embarcar na fantástica Ilha Naja, desejo uma ótima viagem!

Abraços
Carmen Nogueira


You may also like

Postar um comentário