Lançamento Do Som ao Impacto - Editora Multifoco

/
0 Comments

Fechando um ano maravilhoso com chave de ouro... Depois de lançar o livro “Do Som ao Impacto” em publicação independente, pela editora Incomum, agora a Editora Multifoco, comprou a idéia e o livro teve uma segunda edição, com lançamento no último dia 9 de dezembro, no bar Exquisito, na Bela Cintra, Consolação. Disponível para venda no site da editora e em breve no site das principais livrarias.

Trata-se de um livro de contos, o primeiro do autor Ygor Moretti, que ao longo de dez anos trabalhou no texto como uma espécie de laboratório literário. Entre revisões, edições, junção de umas e exclusão de outras histórias, o livro contém 9 contos, independentes mas que também se entrelaçam, antecedem ou completam-se.

Tudo gira em torno de uma cena de violência, um velho baleado em frente a sua casa, aparentemente sem maiores motivos, a violência da cidade e os seus bastidores são tratados em alguns dos contos. Noutros a dor da perda, rusgas familiares e diferenças nos relacionamentos são vistas bem de perto pelos narradores, ora em primeira pessoa, ora pelo viés de um narrador que tudo conhece sobre as motivações dos personagens, desejos e intenções, no entanto, não torna esses acontecimentos explícitos, cabendo ao leitor alcançá-los por meio de conjecturas que se pode fazer entre a seqüência de uma história e outra.

No préfácio o jornalista Marcelo Andrade diz:

Espírito criativo! Ygor Moretti Fiorante utiliza todos os recursos da imaginação na sua obra. Descrevendo pequenos detalhes de cada cena, o livro Do Som ao Impacto deveria ser lido nas telas do cinema devido à leveza na descrição das imagens.

Os diversos contos, marcados por um fino suspense e uma boa dose de sentimento humano, conquistam o leitor, que durante a leitura, começa a interagir em busca de um espaço na história, para vivenciar a cena de perto, sentir o som e esperar pelo impacto que está para acontecer.

Do Som ao Impacto revela o talento de quem estudou e conhece o sentido de cada palavra. Embarque nesta viagem. 

e no site Indicando livros foi publicado uma crítica sobre o livro:
Trecho crítica Indiecando livros.

Tudo o que comecei a rabiscar no meu caderno para criticar em Do Som ao Impacto acabei riscando. Ele foi oferecendo cada vez mais, e no final, colocou um sorriso no meu rosto. Pensei: “Puta que pariu, Ygor Moretti é um ótimo, ótimo escritor”. Você já me ouvir falar isso antes, neste site? Não, né?

Do Som ao Impacto é uma obra curta, apresentando diversos contos entre três e sete páginas, mais ou menos, não completamente interligados, mas que se tocam em diversos momentos. Confesso que minha expectativa era de mais sexo e sangue, e me surpreendi com a certa delicadeza e poesia da obra. Não me entendam errado: Do Som Ao Impacto é forte, robusto, denso, e estranhamente belo. Me deu uma sensação familiar de nostalgia, como se falasse à um momento do meu passado, de imagens e sons de infância, sem nada que eu pudesse identificar como causador de tal sentimento.

Trecho de alguns contos:

My Funny Valentine

Os carros iam passando diante de seus olhos calmos, curiosos. Debruçada no banco traseiro, ignorava mais uma 
advertência de sua mãe a respeito de sua postura dentro do veículo. A menina observava os diferentes carros e pessoas que se aproximavam do automóvel de seu pai. Tinha enjoado de perguntar quanto do percurso ainda tinha de ser percorrido. 

Procurou outras coisas merecedoras de sua atenção.
As mãos apoiadas no queixo, de tempo em tempo, soltavam-se explodindo um sincero aceno em direção aos passageiros dos outros carros. Com o balanço de suas pequenas “mãozinhas”, seus lábios formavam sem emitir som a palavra “tchau”. Virou-se! Permaneceu sentada corretamente no banco de passageiro, do jeito que sua mãe queria que fosse. Decidiu que mais nada merecia sua atenção. Observando aquela natureza patética do interior de um automóvel adormeceu. 

Arqueiros imóveis, após a bola na trave!

Na bagunça costumeira do quarto tentava imaginar quantas daquelas roupas eu ainda usava... Quantos daqueles discos eu ainda ouvia, e qual livro na estante eu tinha lido. Impressionante como os fatos se unem, e os objetos tomam suas posições estratégicas, arriscando a construção de um resumo da vida. Quanto mais remexo nas coisas, sinto fremir o som da minha respiração ofegante, remexendo caixas num estado absoluto de ansiedade procurando por algo.

Encontro as diferentes épocas nos objetos que se mostram cheios de um significado implícito, subliminar. Medalhas antigas, canetas vazias, extratos, moedas... Em cada objeto, moram recônditos, “lembranças-esquecidas”.

Catorze Palavras Contadas

Escrever uma carta para minha família era apenas a transposição de algum texto para o papel. Aquela próxima mensagem tinha por objetivo ser enxuta e direta, ainda mais por tratar-se da morte de meu pai. 

Há tempos eu não o via, um tanto culpado e ferido, mas, no final, achava alguma justificativa para minha distância. 

Os meus erros e medos eram todos causadores deste vazio dos últimos três anos. Portanto, a manifestação mais viva de sua presença foi a carta anunciando sua morte. 

O Salto

No momento em que via aquele salto do alto da ponte... Durante o voo daquele desconhecido, lembrou-se de outro momento em sua vida, alguns meses antes, com movimentos menos ásperos ou plásticos, mas com a mesma finalidade pressionando enquanto pressionava e deslizava uma gilete sobre o punho.


Acompanhem na página do Moviemento ou na página do autor Ygor Moretti Fiorante do Facebook, novidades sobre o livro, book tour, sorteios e outros projetos...


You may also like

Postar um comentário