Descrição de Personagem

/
0 Comments

Olá leitor fantasma que está por aí!!!
Esse post já passou por aqui mas de forma incompleta, agora deixo aqui mais de um exemplo, mais de uma tentativa de descrever um personagem utilizando as características, jargões e palavras de um nicho específico. Desde já fica também o convite ou desafio pra que façam o mesmo; descrever um personagem usando das característica de sua profissão ou condição...

I

Eu não conheci o meu pai...  Seu rosto, aparece sempre desfocado, com um blur bem no meio da cara. Dizem que sou o seu ¾  duplicado. Sendo assim a descrição que faço é muito mais intuitiva e amargurada.
Um tremendo dum irresponsável isso sim! Aventureiro  e determinado, admito. Digo isso pelos registros de suas fotos, lugares mais exóticos e distantes, entre traficantes, tribos indígenas, povos do deserto e terroristas, animais e o completo nada das regiões geladas.
Você deve ser comunicativo e alto, talvez venha daí também o fato de eu ser essa girafa tímida. Mas você conseguiu se aproximar das pessoas para fotografa-las de perto em sua intimidade, olhando sempre para o alto com o pescoço esticado e queijo erguido.
Mas então por onde anda o seu campo de profundidade, a abertura do diafragma da sua maneira de ver e viver a vida, que nos deixa assim, como borrões desfocados mais ao fundo? Se esse pensamento fosse uma carta ou texto num cartão postal,  teria uma observação abaixo da linda fotografia:

Não apareça! Pois por aqui o teu filme está completamente queimado...


II

No reflexo do espelho tentava identificar o GRID em que foi baseado a construção de seu rosto. - Talvez modular. Pensou, buscando explicações para cada um daqueles elementos bem destacados, respeitando um alinhamento justificado que deixava tudo bem ajustado porém, fazia também com que olhos e bocas parecessem esticados. Com o cabelo tentava quebrar a monotonia de toda aquela harmonia, provocando contrastes com suas linhas finas e contornos desiguais. Mesmo assim, o layout do seu “cartão de visita” era aquele, normal, que no entanto, aos prestarmos mais atenção encontraríamos diversas irregularidades, constatando que a assimetria da natureza reinava por ali. Mais poderosa até que a proporção áurea que coexistia nos melhores trabalhos gráficos, baseados em briefing bem descritos. - Ah se pudesse usar os filtros do Photoshop, ferramenta clone para limpar espinha, Blur, Radlaby, Sponja e outras ferramentas para amenizar sardas e manchas da pele. Lamentava num pensamento silencioso e estridente dentro de sua cabeça. Contudo, em relação a sua palidez e a cor de seus cabelos, aqueles pequenos pontinhos magentas completavam a tríade em sua paleta de cores.  
Mas não só os programas gráficos poderiam dar jeito em sua pessoa, pois seus gestos e movimentos eram itálicos e sua voz minúscula. Sonhava com o dia em que suas frases fossem formadas por fontes bold e tivessem o peso de palavras em CAPS LOCK, mas que fossem também belas e únicas como uma tipografia baseada em movimentos de pincel.
De todo modo precisaria de muito mais esforços e um redesenho de seu logotipo. Como primeira ação deveria largar aquelas roupas e o habito de vestir-se sempre em tons de cinza,  para mergulhar no mar da possibilidades CMKY, retocar a tatuagem como um verniz localizado para assim comunicar-se, ser inserido no mundo onde ultrapassariam sua carcaça, capa e contracapa atraindo assim todos ao seu redor para conhecer os tesouros de seu verdadeiro conteúdo.



III

Tinha os olhos dum azul mais do que artificial, numa escala industrial de CMKY, sendo composto por  92% de Ciano, 71%  de magenta, 0 Yellow e 0 black. Era a formula “mágica” que deixavam aqueles olhos tão lindos e desconfortáveis de encarar frente a frente.
O rosto num grid modular tinha cada elemento bem destacado, boca, olhos, nariz e todas as outras partes da face sem nenhum conflito, no máximo no contraste desejado para um layout perfeito, clean e legível.
O tom de pele perfeito tratado em photoshop, ferramente clone, filtros de instagram, deixavam até mesmo as sardas como a terceira parte da tríade de cores, essa destinada aos detalhes, eram verniz localizado aplicado ao rosto.
Em contraste a todo esse equilíbrio estético, quando se movimentava revelava um caminhar itálico, devido a um problema de nascença na cintura. Também por conta disso, seus gestos eram minúsculos, um manuscrito tremido e atabalhoado, que não deixavam transparecer sua confiança e personalidade segura, forte, Bold.
Dessa forma com todos esses constrastes, entre uma bela capa e uma surrada contra-capa, poucos davam-lhe oportunidades, folheavam suas páginas e alcançavam seu real conteúdo, distribuído em estrofes e capítulos sedentos de visitação.


You may also like

Postar um comentário