Poemas Cinematográficos... Cisne Negro

/
0 Comments

CISNE NEGRO 

olhos de rubi, 
deixa-me ir contigo 
à cave do medo 
e da glória. 
na tua língua 
áspera, viscosa, quente, 
sinto a iminência da queda, 
o encontro súbito da negação 
do que até agora fui: 
o desejo - sangue e fúria, 
o caminho solitário, 
a morte dos que me amam. 
troco a minha alma 
por um Pas de Deux: 
vivamos 
no assombro da platéia, 
na respiração suspensa 
antes do aplauso.

Poema de Boxer 

Luso-Poemas


You may also like

Postar um comentário