Clodomiro Tradição - Cultura e Chatisses

/
0 Comments


Heiaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Eu cumprimento digo oi, saudo a quem me le, ah esses três ou quatro
admiradores discretos ou timidos. Este olá com fogos de artificio é para vocês!!!
Muito embora vai aqui também uma reclamação: No mundão por ai fora alguns se matariam
pelo título de descobridor de um novo pintor ou artista plástico, comprariam por fortuna o direito
de com desdém poder dizer: - Ah ja conhecia esse escritor desde o seu tempo de blog, ou melhor fanzine, desde de os primórdios de seus escritos...
Heiaaaaaaaaaaa eis uma Supernova amigo, ainda que sexagenario mas uma estrela não tem idade
ja dizia o meu amigo Zé Linguiça...

Eu sou aquele que tem muito a dizer mas falo pouco... para o bem de todos, so mesmo na minha mente durante as caminhadas é que solto o verbo pensando alto as vezes "pagando de louco" como se diz por aí... Quando vou escolher uma pauta para o texto sempre me recordo dos tempos de escola, redação: TEMA LIVRE...................................................não pode haver prisão mais indissolúvel que esta. Poder falar sobre qualquer coisa, sobre tudo será sempre um vazio lúcido e angustiante de mil e nenhuma escolha...

Pois bem, quero falar da artificialidade da mulher, prestem atenção senhoritas, artificialidade e não superficialidade não me aterei ao corpo artificial até porque este anda junto do superficial do caráter, da indole e de todo campo ou característica onde se pode(e invariavielmente se é) ser superficial, tanto para senhoritas quanto para os cavalheiros... (acho que me livro assim de ser alvo de feministas ou qualquer defensor de qualquer classe supostamente recriminada)...

Desde que Frank com certo êxito criou a sua própria criatura artificial(ou seja de forma não natural) qualquer um desde aquele tempo pode sentir-se encorajado a também fazê-lo, enquanto lá o dr. usava partes diferentes de corpos de pessoas mortas, por aqui costura-se a foto de um com o perfil doutro na rede social de e as boas sacadas de um terceiro...
Bem aventurada esta humanidade... de Frankstein a Tamagoshi cabem todas as criaturas e o nascimento de novos pensadores...

E falando na mulher... cito a jornalista, redatora etc. etc. etc. Tati Bernardi, que relata numa crônica a sua investigação em busca de outras Tatis que perambulam frases "sábias" e boas sacadas por ai. Ao dar o flagrante com alguma educação a Tati verdadeira(até onde se sabe) não foi
reconhecida pelas outras genéricas, ou seriam clones, ou ainda gerações espontâneas de psico-personalidades-invariáveis?

Eu oras bolas já fui chamado de personagem, menos mal que isso tenha sido feito em tom de elogio:
Ah que legal esse personagem. De certo existe sim um personagem no que escrevo, um Clodomiro mais souto com um binóculo em coisas que se eu tivesse de pagar pra falar...ficaria em silêncio...

Noutro ponto Bina48 mostra uma gama quase infinita de programações que simulam e alcançam em certo momento uma consciência, e no momento seguinte se perdem diante de perguntas tolas, mas com uma convicção espantosa defende a sua existência, sonhos e tudo o mais que uma mulher pode ter...

Bina48 sendo entrevistada

E Mãe Duchampa essa guru-mística das artes? Revelou-se parte de uma tríade, ela e suas duas criadoras que polemizaram com humor o mundo das artes. E agora que será de mãinha já que se sabe que são duas jovens estudantes de artes... Uma coisa é certa: Personagens não sobrevivem ao cinismo, 
ainda que vivam no faz de conta, entram em parafusos se assim nessa tentativa. Estes sim vivendo na Matrix da Matrix e quando abrem realmente os olhos não conseguem conviver com o que veem...

Por último inspirado no espólio interminável de Clarice Lispector que zomba de editores, biógrafos e da própria autora com a sua produção crescente e continua na rede. Alerto e talvez acalme um e escandalize outros: Não!!! Não será mais problema lhe roubarem aquela idéia infalível, o texto o poema brilhante, mas se você um dia disser algo que ganhe alguns joinhas por ai, herdará o conhecimento e um acervo crescente... como mágica. E rica são todas essas palavras que nunca regressam, após o primeiro momento de sua concepção são independentes já não pertencem a nenhuma assinatura...

Clodomiro Tradição


You may also like

Postar um comentário