Um Objeto Quando Esquece

/
0 Comments


Livro publicado no Clube de Autores:
Mantendo ainda vigente um processo antropológico de criação, a
poesia continua sendo um cuspe, uma exclamação. Uma poesia material,
visual, detalhista, figurativa, uma poesia de madeira e metal. Esta poesia que dialoga com o espaço físico, objetos mitológicos e um caráter simbolista particular fugindo da poesia de momento para ser o texto inefável. Noutros momentos com característica de quem pinta, usando como parâmetro os limites da carne viva, a bidimensionalidade cubista, ou o retorcimento da carne durante o movimento com pintou Francis Bacon. Os elementos e matérias transponíveis e intransponíveis, físicos e eternos, a fuga fauvista através das cores, o universo noir-surreal de Hoper ou do cinema de Raging Bull, Blade Runner, Persona, Sunset Boulevard e outros. Trabalhando com probabilidades, possibilidades e com o potencial de cada palavra sendo por diversas vezes testada ou exposta assim como os surrealistas “jogavam” um objeto em um lugar inusitado e inesperado.

Número de páginas: 51
Edição: 1(2013)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

R$29,67 e Ebook R$16,89



You may also like

Postar um comentário