Entrevista com o Autor - Luiz Souza Costa

/
0 Comments

Olá a todos os leitores do Moviemento, estamos aqui com mais uma entrevista com o autor, dessa vez Luiz Souza Costa é que nos dá o prazer da entrevista. 

Primeiramente quem é Luiz Souza Costa? Conte-nos sua formação e como chegou até o dia de hoje?

Aos 56 anos de idade, sou um homem simples, amante da paz e da solidariedade e muito sensível para com as causas da criança e do adolescente, dos animais e da Natureza como um todo, e, sobretudo, temente a Deus. Oriundo de proletários, servi a Marinha do Brasil, desenvolvi a função de Enfermagem em diversos hospitais de Salvador, representante comercial, fui chefe de Assistência Social na Prefeitura de Maragogipe, cursei Higiene e Segurança Industrial, técnico em vendas, fui presidente de ONG (no interior e na capital) e de partido político, fundador e redator de um periódico, instrutor social, e, apesar de apenas ter cursado o ensino médio em escola pública, realizei-o numa época em que o ensino era mais profundo. Apesar disso, concebo que depende de cada aluno se esforçar visando se aprofundar nos estudos. Atualmente presto serviço de Home Care e de empreendedor de uma empresa multimídia;

E no mundo literário como foi seu primeiro contato com os livros e como passou de leitor para escritor?

Desde tenra idade sou fascinado pele leitura. Porém, por assuntos profícuos, iniciando com literatura infantil e, gradativamente, por questões sociais, filosóficas, psicológicas, históricas, religiosas e medicinais. Conforme descobri meu forte senso de justiça e meu espírito altruístico, me senti impulsionado a espelhar a ação do beija-flor, contribuindo para apagar o “incêndio social” que há décadas o Brasil experimenta;

Você lançou no Clube de Autores o livro Inversões de Valores à Moda Brasileira, conte-nos um pouco mais sobre a obra.

É uma espécie de libelo ou uma propugnação não somente contra as malversações do dinheiro público, mas principalmente contra as inúmeras formas de degradações dos costumes também imperantes no Brasil. E sendo produzida por um autodidata, o qual “atravessou desertos” no período de sua elaboração, sem nenhum apoio institucional ou particular, obrigou-me a desprender um esforço hercúleo através de uma vontade férrea, mas sempre no intuito de servir-me de instrumento de Deus. E para concebê-lo, abeberei-me de diversas fontes literárias e perlustrei nos mais diversos ambientes durante muitos anos, contribuindo para mesclar teoria com empirismo;

Dentre as inversões citadas no livro qual a que mais lhe chama atenção?

O ter em detrimento do ser é bastantemente pernicioso às relações sociais, e, por conseguinte, um sentimento hedonista ou sublunar que fomenta o egoísmo, a concupiscência, a falta de amor, a ganância, inclusive pelo não essencial, enfim, produz injustiças e deterioração das relações sociais e familiares. No caso do Brasil, tais sentimentos são devastadores e amplamente estimulados. Além disso, aqui é trivial pessoas granjearem fama e fortuna através de atos de canalhices com o apoio de parte da mídia e sem que nossas autoridades apliquem os Códigos de Ética, nos limites, objetivando sustá-los. Com efeito, pessoas em plena fase de formação da personalidade absorvem tais conceitos inversos e passam a conceberem como normais e aceitáveis. Por isso, com um exemplo no meio de milhares, um número incomensurável de crianças brasileiras têm avidamente desejado ser uma reboladora de lubricidade vergonhosa, que reproduz a baixíssima sexualidade (da espécie Carla Perez), mas não têm desejado ser professora, médico, advogado ou qualquer outro profissional que contribua benevolamente para o engrandecimento da sociedade;

O que você pensa sobre o atual momento do país? Em que ponto essas manifestações podem colaborar para corrigir os valores socais?

Há tempos que já deveria ter desencadeado. É reflexo de um “tumor social” que estourou num “corpo em estado de metástase” chamado Brasil. Por diversas razões, a grande maioria da sociedade brasileira, consciente ou inconscientemente, desejava promover ações de repúdio contra as malversações do dinheiro público, exigindo melhores atendimentos nos serviços essenciais, como também à vergonhosa e histórica impunidade em favor dos poderosos. Entretanto, as vergonhas brasileiras não se restringem às más ações de muitos de nossos políticos e da má aplicação das leis, inserindo-se improbidades praticadas por integrantes do Judiciário. Nossas mazelas sociais também devem ser atribuídas, além do péssimo atendimento aos serviços públicos essenciais, à péssima distribuição de renda, à sexualidade exacerbada, ao sistema carcerário, à permissividade a muitos incentivadores de inversões de valores, deixando ególatras irresponsáveis agirem a seus bel-prazeres (como urubus da mídia ou proxenetas virtuais), às ações vampirescas de altos empresários, banqueiros e latifundiários (tendo como exemplo operadoras de celular), a alguns artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente, ao corporativismo dos poderes constituídos, de modo que imputam um ao outro a culpa dos problemas nacionais, além de inúmeras outras incongruências deletérias em detrimento da nação, mas sempre atingindo mais ampla e profundamente a baixa camada social. E como de toda ação provém uma reação, os movimentos que aí estão clamando por justiça devem se organizar ainda mais e criarem forças a fim de pacificamente exigirem as correções de todos os meios diretos e indiretos que desencadeiam desequilíbrios sociais até atingirem os outros mecanismos que também são responsáveis pelo fomento dessa degringolada de valores que a cada dia se agrava em nosso país;

Em algum ponto essas manifestações demonstram algum tipo de contradição ou inversão de valores?

Sim. Deixarem mais claro dois pontos: 01. Através de seus líderes, quais os anseios exigidos a fim de que também conscientizem melhor e de forma mais ampla ao quinhão da sociedade que menos entende suas razões; 02. Também deixarem mais evidentes e com muita ênfase que não se coadunam ou se compactuam com os vândalos;

Além do livro "Inversão de Valores à Moda Brasileira" você possui alguma outra obra pronta ou em produção? Pode nos contar sobre?

Sim. Um livro de Crônicas, sempre voltadas às questões sócias, um livro inacabado, o qual talvez seja o Inversões de Valores à Moda Brasileira II, muitos pensamentos meus, e coletâneas de asserções de pensadores universais;

Por fim, deixamos aqui esse último espaço para que você mande um recado para seus leitores e outros autores que assim como você estão buscando um espaço no mercado editorial:

Em primeiro lugar, nunca se desvencilhar da fé em Deus. Depois, sobretudo àqueles que não se dispõem de apoio material e de incentivos emocional e psicológico, mesmo no seio da família, e cujos anseios sejam sublimes, devem buscar uma força interior profunda, com espírito recalcitrante e até estoico a fim de superarem as adversidades e as  vicissitudes. Que não sejam pusilânimes em relação aos anelos que visem de uma forma ou de outra contribuir para melhorar a condição humana ou social. Inclusive, estarem atentos a pessoas que se dizem “amigos”, mas no fundo estão sentido inveja de suas iniciativas e fazem algo no intuito de lhes dissuadirem. Finalmente, orar para aqueles que, veladamente ou não, desejam seus fracassos, e que eles tenham vida longa a fim de testemunharem suas vitórias. Sobretudo, num país repleto de preconceitos.


You may also like

Postar um comentário