/
2 Comments

Cama de Gato –

Com a estréia do diretor teatral Alexandre Stokler nos cinemas e um orçamento de 13 mil reais(isso mesmo treze mil reais preço de um carro popular), “Cama de Gato” mostra a força e as possibilidades do vídeo digital. Junta-se ao micro orçamento o fato de toda a equipe técnica e o elenco não terem cobrarado chachê.
E o que temos é um filme que ultrapassa as discussões sobre suas qualidades ou defeitos, e intensificasse com uma abordagem interessante sobre um tema peculiar, difícil e atual. Com a participação de Caio Blat, único ator conhecido do grande público, “Cama de Gato” conta a história de Três amigos, jovens de classe média que passam o dia entre baladas, consumo de drogas, fervorosas discussões sobre política, sexo, economia, globalização, ética e outros assuntos. O filme na verdade é uma longa discussão, ou melhor é uma grande pergunta sobre a ética de cada individuo e da sociedade de um modo geral. Os personagens em certo momento parecem caricaturas, mas representam bem o jovem de classe média que tem acesso a informações, estudo, freqüenta uma faculdade etc, mas nem por isso deixa de ser menos delinqüente, irresponsável ou marginalizado como jovens de classes mais baixas até. Em um dos diálogos um personagem exemplifica bem como esse jovem se sente: “Somos ricos demais pra sermos considerados pobres e pobres demais pra sermos considerados ricos”.
E é nesse contexto que três amigos numa tarde enquanto estão sozinhos armam um plano para que os três consigam transar com uma mesma garota. E o que seria mais uma prática de sexo casual entre jovens, termina em estupro e a morte da garota, na continuação é a mãe do personagem de Caio Blat que morre numa seqüência desastrosa de certo humor negro, quando cai da escada. A partir daí o filme cai num clichê de filmes de suspense onde um protagonista tenta ocultar um corpo. No entanto, esse suspense, essa parte da história em verdade pouco importa, é na verdade um grande pretexto, um macabro pretexto pra denunciar como anda a ética e o pensamento do Jovem Brasileiro. Os diálogos são realmente ricos e é através deles que as criticas são expostas de forma mais enfática, como por exemplo quando um personagem se queixa da incomoda sensação de quem sente que tem e precisa dizer algo mas não sabe e nem tem o que dizer. E isso porque estamos em um país onde a décadas atrás lutávamos justamente pelo nosso direto de livre expressão. Com uma linguagem intimista utilizando da atmosfera mais documental e direta de uma câmera digital manuseada sem tripés, “Cama de Gato” ironiza a tudo isso quando mostra depoimentos de jovens a respeito dos acontecimentos do filme sem que soubessem da existência desse. É quando melhor podemos ver a quantas anda a moral e a ética no país(é de arrepiar).

Ygor Moretti Fiorante

Ficha Técnica
Título Original: Cama de Gato
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 92min.
Ano de Lançamento (Brasil): 2002
Direção: Alexandre Stockler
Roteiro: Alexandre Stockler
Elenco: Caio Blat - Rodrigo Bolzan - Cainan Baladez - Rennata Airoldi Val Pires
Claudia Schapira - Nany People - Alexandra Golik - Bárbara Paz - Cabeto Rocker -
Carla Trombini - Élcio Rodrigues - Jairo Mattos - Janaína KanLavínia Pannunzio - Luís Araújo


You may also like

Postar um comentário