/
0 Comments
Cache - de Michael Haneke


Os primeiros minutos de “Cachê” servem para que apenas consigamos perceber uma certa provocação e uma das várias questões levantadas durante o longa. Cachê escrito e dirigido por Michael Haneke, é um desses filmes que em parte pode se tirar muitos significados ou ao final do filme não entender muita coisa. Nos dois casos o público segue caminhos opostos mas “programado” pelo diretor, claro que há o perigo de se entender coisas demais até mesmo aquilo que não está no trabalho, já o não entender, é algo mais proposital, “Cachê” de fato não é um desses filmes que ao final tudo se explica, muito ao contrário, o desfecho do filme é um combustível que agrega vários sentidos a história, e dá forma a proposta provocadora de Michael Haneke.
Georges Laurent interpretado por Daniel Auteuil é um apresentador de um programa literário, casado com Anne Laurent(Juliette Binoche) com quem tem um filho pré-adolescente. Um dia Georges recebe uma fita de vídeo contendo imagens da fachada de sua casa, e junto das fitas desenhos sinistros impõem um ar de ameaça a vida do casal. Com o passar do tempo novas fitas com novas imagens vão sendo entregue demonstrando que o autor das filmagens tem acesso a vida intima do casal, além de conhecer detalhes importantes do passado de Georges.
Espantados com a possíveis ameaças, o casal tenta descobrir quem e por qual motivo estariam fazendo tais atentados. O filme segue no ritmo vertiginoso de um suspense muito bem construído, mesmo não sendo essa a única proposta do filme.
Haneke propõe na verdade uma profunda análise sobre a imagem e o papel dela, dos personagens e dos próprios telespectadores. Há um convite para a inclusão de quem assiste ao filme a participar da construção de seus significados, uma obra que mergulha a fundo na metalinguagem do cinema e no ato de contar historias, revendo o papel do público, não mais o aceitando como passivo diante de diversas metáforas que nos são apresentadas. Cachê não chega a ser contraditório mas é em todo instante ambíguo, ficando difícil identificar uma metáfora ou um drama psicológico de um fato gritante e estatelado na tela.

Ygor MF

Ficha Técnica
Título Original: Caché
Tempo de Duração: 117 minutos
Ano de Lançamento (França / Áustria / Alemanha / Itália): 2005
Direção: Michael Haneke
Roteiro: Michael Haneke
Produção: Veit Heiduschka
Fotografia: Christian Berger

Juliette Binoche (Anne Laurent)
Daniel Auteuil (Georges Laurent)
Maurice Bénichou (Majid)
Annie Girardot (Mãe de Georges)
Lester Makedonsky (Pierrot Laurent)
Bernard Le Coq (Redator)
Walid Afkir (Filho de Majid)
Daniel Duval (Pierre)
Nathalie Richard (Mathilde)
Denis Podalydès (Yvon)
Aïssa Maïga (Chantal)
Caroline Baehr (Mãe de François)
Christian Benedetti (Pai de Georges)


You may also like

Postar um comentário