/
1 Comments
"Fim dos Tempos" de M. Night Shyamalan






















Com estréia prevista para junho de 2008 “Fim dos Tempos” é sétimo filme da carreira de M. Night Shyamalan. A filmografia do diretor e roteirista é marcada por muita polemica em volta de seus filmes. Se para alguns críticos e fãs M. Night pode ser considerado um dos mais promissores diretores dos últimos anos, para outros, no entanto, o valor de seu trabalho resume-se apenas ao longa “O Sexto Sentido”. Que por sinal é tido como a obra-prima do diretor, unânime entre críticos e fãs.

“Fim dos Tempos” mostra um cenário caótico onde a natureza se rebela contra a humanidade, aniquilando os homens antes que eles acabem com ela. Uma neurotoxina invisível passa a compor o ar que respiramos e as pessoas começam a se suicidar. O protagonista é Elliot Moore (Mark Wahlberg) de “Planeta do Macacos” e “Mar em Fúria”, o elenco conta ainda com a presença de John Leguizamo de “Romeu e Julieta”.

Shyamalan é além de diretor, roteirista de seus filmes, fazendo sempre uma ponta. Suas histórias contam sempre com um elemento “fantástico” ou sobrenatural, conduzido de forma magistral mantendo um suspense latente e nada obvio. No entanto tais suspense e o “fantástico” de suas histórias, mostra-se na verdade como um pano de fundo para dramas e questões mais humanas. Será sempre por meio do sobrenatural que os personagens de Shymalan irão encontrar redenção e a dissolução de seus conflitos pessoais.
Em “O Sexto Sentido” (1999) temos uma desconexa relação entre mãe e filho, vivendo juntos mas em mundos distantes, sem a cumplicidade que se espera encontrar nesse contexto familiar. Até que, Lynn Sear personagem interpretado por Toni Collette descobre que seu filho Cole Sear (Haley Joel Osment), é capaz de ver pessoas mortas, só então torna-se possível a aproximação deles, reconstruindo assim o elo antes partido.

Em seu segundo longa “Corpo Fechado” (2000), temos um cenário parecido, enquanto o personagem de Bruce Willis (David Dunne), não encontrar respostas para seus super-poderes, e não der início ao que parece ser sua missão, verá sua família aos poucos ser desmembrada devido a incomunicabilidade com a esposa assistida com angustia pelo filho.

Já em “Sinais” (2002) o conflito dá-se por causa da fé perdida pelo Reverendo Graham Hess personagem de Mel Gibson. Após ver a perder a mulher em u acidente de carro Graham volta-se ao ceticismo o que torna frágil e conflitante sua relação com filhos e o irmão Merrill Hess (Joaquin Phoenix). Somente após as invasões alienígenas que a terra sofre e um aparente milagre capaz de salvar a vida do filho, é que o personagem de Mel reencontra-se com sua fé e encontra em seu caminho religioso a harmonia para sua família.

Em “A Vila” de 2004, dramas e conflitos dos personagens tomam proporções maiores, representados por uma comunidade. Aqui o sobrenatural, o suspense não é algo externo, acidental, mas sim algo inserido por membros do vilarejo afim de solucionar os problemas dos moradores da vila. É por tanto uma solução construída de dentro para fora, no entanto, ainda percebemos por trás do suspense e do temor causado pelas “criaturas” da floresta, o drama das pessoas como força motora de toda a história.

Essa estrutura de roteiro em subcamadas fica ainda mais evidente em “A Dama na Água” de 2006. Um grupo de moradores de um condomínio é surpreendido por uma Ninfa perdida entre “dimensões” precisando retornar ao seu mundo. A partir daí o zelador Cleveland (Paul Giamatti) e o restante dos moradores partem numa jornada com a missão de fazer Story (Bryce Dallas Howard) voltar para casa. Por sua vez a ninfa possui poderes capazes de prever o futuro das pessoas, é ai nesse contexto que o roteiro de Shayamalan se desenvolve de maneira mais profunda. “A Dama na Água” é a obra mais repleta de simbologia, o trabalho onde a metalinguagem faz-se presente de maneira mais explicita até então.
Fica então a expectativa para mais um trabalho desse que vai mostrando-se um roteirista e diretor com um projeto intelectual que vai sendo construído a longo de sua carreira.

Ygor Moretti

Fim dos Tempos
Estréia - EUA-Brasil: 13 de Junho de 2008
Estúdio: 20th Century Fox
Direção: M. Night Shyamalan
Roteiro: M. Night Shyamalan


You may also like

Postar um comentário